segunda-feira, julho 19, 2010

Poesia - O bem que mal me faz é um mal que me faz bem

Poesia - O bem que mal me faz é um mal que me faz bem

undefinedundefined

Escrevi essa poesia hoje na sala de aula na aula de Português da Professora Cláudia Simone. Engraçado, porque fazia tempo que eu não escrevia e de repente me veio a mente escrever. O mais engraçado é que no início, a minha intensão não era falar de sentimentos, mas sim do que tenho dentro de mim que não consigo por para fora. Analisem...

Escrevo o que sinto
Dentro de mim mora alguém
Que sente a dor de não sair
Sair de mim.

Mesmo na ânsia de ver o fim
Me sinto fria pra acreditar
Que já é tempo de começar
E não comecei.

O medo de estar com você
Existe porque tenho medo de mim
Medo de errar em tem amar
Mas vejo que amo errando em não querer você.

Sem razão tento crer que tudo é ilusão
E nada passa de um desejo pessoal
De ter o que me queira bem
E assim quero o que me faz mal.

Chorei, sorri e agora estou aqui
Dizer que é bom te ter não posso
Pois não tenho nada além de nada.
Nem eu mesma sou de mim.

O que me faz bem é imaginar o que és em mim
Já que fora não és nada além do que eu não quero
Não te querer é um bem que me dás
Te querer é um mal que me faz bem.

Tenho raiva da incompreensão que me causas
Nada me revela o que se passa de verdade
Lá fora é chato, solitário, triste
Lá dentro é onde eu vejo o sorriso da tristeza.

O som dos meus olhos chorando
É uma sinfonia para você
Regida pela dor que me causas
Quando mostras o que és de verdade

E o que és?
Nada além de alguém
Que não quer nada.
Nada.

Nenhum comentário: