sexta-feira, novembro 25, 2011

Dia frio



Congelo e fico fria. Vejo minha vida em cubos de gelo e eles nunca derretem. Gostaria de sentir meus dedos, mas eles congelaram. Fico parada esperando o frio passar e acabo sentindo uma dor aguda. Onde sinto? Não sei mais. Dói tanto que não dá pra saber de onde vem e onde para; ela apenas me devasta, me encharca; me encharca como uma chuvarada que ninguém espera ao sair de casa sem guarda-chuva. O vento corre tanto que me seca, mas o frio é mais rápido; a água me encharca de novo. Estou tremendo. Quero um agasalho, mas não tenho aquele que está na loja do outro lado da rua. Comprei um sapato no lugar dele. Prefiro o sapato ao agasalho. Não ia suportar meus pés molhadas e enrugados. Quero-os aquecidos enquanto o resto do meu corpo treme em busca de calor. Meus dentes batem uns nos outros. Parece música. Parem o maestro! Ele está bravo e grita como um trovão. Eu não grito. Apenas respiro e o que expiro sai como fumaça. Preciso de um balde. Começou a chover e eu nem percebi. Estava distraída vendo a poça se formando em mim. Droga! A poça molhou os meus pés! Ah, o agasalho...

3 comentários:

Hertinha disse...

Chuva...doce mistério que encanta até mesmo as folhas sedentas que emergem do nada, como se o que a fizesse crescer fosse apanas água e o dedo de alguém que também misteriosamente, em meio a água mostra todo o seu poder...Amo poesia...amo quem a revela...amo a sensibilidade...parabéns!

Patricia Paulino (Pati) disse...

Dia frio...
Dia triste.
Forte e intenso...
Frio.

Maria Beatriz de Castro disse...

Frio rima rio... Lógico que rima... Sempre que tô com frio me imagino sendo levada por um córrego sem fim. É bom quando tem alguém segurando sua mão enquanto você é levada pela correnteza, mas quando ninguém está te segurando, parece mais um precipício...

Querida, saudades daqui! Desculpe ter sumido, faculdade, sabe como é :S Beijo!

http://biacentrismo.blogspot.com