sexta-feira, setembro 28, 2012

A flor e o cartão


Risadas. Era tudo o que ouvia. Ela passava dentre todos e só ouvia isso. Não olhava pra frente, nem para o lado; só pra baixo. Gostava de ver os próprios pés andarem acelerados. "Gorda! Sem graça! Você é tão patética!" eles repetiam enquanto ela andava desenfreada ouvindo as piadas. As vezes sentia algo quente no rosto. Uma lágrima.
Era dia dos namorados e logo que chegou na escola, viu os corações vermelhos e algumas garotas com cartões e flores nas mãos. Sentia-se triste demais para ver tudo aquilo e ainda ser desprezada e insultada. Seguiu em direção á sala, sentou-se na cadeira e ficou esperando o professor chegar. Baixou a cabeça encostando-a no seu braço que repousava na cadeira da frente; queria não ter quer ver os garotos passarem no corredor e olhar pra dentro da sala onde ela estava sozinha. Mais uma lágrima caía enquanto outra se juntava nos olhos. Foi aí que viu. A visão embaraçada enxergava algo verde embaixo da cadeira. Puxou o que revelava ser uma flor. Junto estava um cartão com o seu nome. Lemon. O coração acelerou de tal forma que ela não conseguia controlar. Parecia que ia pular. Batia tanto que achou que iria parar de vez. Abriu o cartão e nele leu: 

"Eu vejo você quando chega.
Eu vejo quando solta os cabelos pra tentar esconder o rosto.
Eu vejo quando você senta no banco do canto na biblioteca só pra que não te percebam.
Eu vejo quando você sai da sala primeiro do que todos pra fugir das piadas.
Eu vejo os seus olhos quando estão atentos á algo. Tão serenos.
Eu vejo até os raros sorrisos que você dá de repente quando ninguém percebe.
Eu sempre te vejo.
Você não sabe o quanto você é linda.
Tão linda...
Tão linda como essa flor que eu dou pra você." 

A palavra "linda" ecoou em sua cabeça. Ela sorria e nem percebia isso. Olhou para o cartão e para flor e pela primeira vez se sentia livre dos preconceitos. Levantou-se e saiu da sala. Saiu diferente. Olhava pra frente, sem medo, sem lágrimas no rosto. Não corria como fazia pra fugir dos outros. Diante das piadas só ouvia as lindas palavras que havia lido no cartão. Palavras de alguém que a percebia, que a achava linda. Ela só precisou disso pra se sentir bem. Se enxergava diferente. Todos a olhavam percebendo algo diferente. Cochichavam enquanto ela ia seguindo. Seguindo na vida, com a flor e o cartão na mão.

6 comentários:

Dani disse...

Eu adorei o seu blog, de verdade.
Espero vim visitá-la várias e várias vezes. Já estou te seguindo.

Posso te esperar no meu?

http://expectativasreais.blogspot.com.br

Raquel Santos disse...

Adorei o texto viu? Achei o texto de grande motivação, existem muitas meninas assim, elas se acham feias ou por qualquer outro motivo se deixam levar por piadinhas. Elas se esquecem de que todos somos bonitos dentro da nossa medida. Parabéns pelo blog ;D

http://algunsdisparates.blogspot.com.br/

Dilly Monnete disse...

Uma única palavra muda tudo.
Absolutamente tudo.

Adorei *-*

Patricia Paulino disse...

Alive doll!
Eu amei esse texto!
Lindo!
Meus parabéns!
Beijos...

Patricia Paulino disse...

Hoazanzinha!
Lindo texto viu!
Quanta inspiração!
Beijos, saudades e lembranças...

Patricia Paulino disse...

Hoazanzinha!
Lindo texto viu!
Quanta inspiração!
Beijos, saudades e lembranças...