quinta-feira, setembro 19, 2013

Cortar, o verbo que muda

Cabelos ondulados, longos, fáceis de serem levados pelo vento. Deles saíam um brilho refletindo beleza; exalavam um perfume que acariciava as narinas quando se inspirava. Qualquer movimento e qualquer coisa que ela fizesse com eles a fazia parecer uma deusa. Ela tinha uma presilha em forma de libélula que prendia parte do fios em cima da orelha direita. Era tão bonita.
Por uma série de desventuras, ela estava triste. São aqueles momentos que não se adiam, nem se pode fazer muito pra mudar o infortúnio. Com uma senhora habilidosa e uma tesoura, cortou os cabelos. Tão curtos quanto os cabelos da Winona Ryder em "Outono em Nova York". Cortou-os como qualquer mulher que corta os cabelos quando quer mudar. Não essencialmente a si, mas a tudo. Porque talvez, quando certas coisas por um momento se mostram imutáveis; cortar os cabelos nos traz a sensação de poder mudar as coisas.

13 comentários:

Rodolfo Soares disse...

É, as vezes essa mudança tem um significado muito grande para nós, que as vezes precisamos de apenas isso para mudar nosso humor, e o nosso dia. Não sei se sou pouco exigente, mas tem domingo que só por fazer a barba já me sinto melhor.

Uma dúvida, a pintura foi você quem fez?

Um abraço!
Um guarda-livros

Hozana Rodrigues disse...

(Risadas) Não Rodolfo! Não fui eu não. É uma imagem pronta que eu pego de outra fonte.

Daniele C. S. disse...

Eu acho que sempre que mudamos alguma coisa fora é porque queremos mudar por dentro, concordo com o texto.

G.Erika disse...

Gosto de mudar, mas não cortaria meus cabelos ;) Só a forma de prendê-los!

Beijos

Catarina Luna disse...

há já algum tempo que não lia um texto que me fizesse sentir tão leve. essas palavras fizeram todo o sentido para mim, admito que esse corte parece mudar, quase sempre, o que está errado. mas nada se altera, na verdade.
obrigada pela visita ao meu cantinho! continuarei a vir aqui, com toda a certeza :)

Realidade Caótica disse...

Mudanças as vezes vem para o bem, nos faz bem. Concordo com o mudar de fora para dentro e o contrário, gostei do texto, e da forma como escreve. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

Carla Wolf disse...

Mudar sempre traz significados, muitas vezes diz o que uma pessoa está sentindo. Adorei o texto.
vestindo-ideias.blogspot.com.br

Marina disse...

Mudas alguma coisa, mesmo que seja só o cabelo, nos deixa uma sensação de estar no comando, mesmo que as coisas fujam do nosso controle.

Lindo seu texto!

Suzi (vulgo, Emilie) disse...

é uma mudança externa que representa uma alteração interna. o ato de cortar o cabelo é muito significativo, de fato. acho que é por isso que receio tanto cortar o meu...
{Emilie Escreve}

Beatriz Karen Lopes disse...

Essa metáfora foi incrível, e eu passei por uma sensação semelhante tempos atrás. Meus cabelos estavam compridos como nunca estiveram, mas opacos, secos, sem vidas. Eu me sentia muito sem vida na época também. Então uni o funcional ao emocional, e tirei uns cinco palmos. Não digo que estou completamente revigorada, mas mudar me trouxe um novo frescor, uma nova perspectiva de cabelos, da vida, de tudo.

Conto lindo, parabéns!

Beijos =*

http://alacazaam.blogspot.com.br/

Desbravadores de Livros disse...

Adorei o título, já chamou minha atenção por aí.
Fiquei me perguntando o quê cortar. Realmente, a mulher faz isso mesmo. Quando estamos saturadas, cortar o cabelo nos "muda".
Eu e meu noivo estamos realizando um Book Tour do livro dele, caso tenha interesse em resenhar o livro, acesse o site e se inscreva: http://www.omundosobomeuolhar.com.br/

M&N | Desbrava(dores) de Livros

Samyle S. disse...

Nossa, eu já me senti tanto assim! Todo ano, antes do início das aulas, eu tenho de mudar o corte, é uma mania. É só nesse desejo de que tudo fique melhor...

http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

Eloá Vinhal disse...

Singelo, prévio e verdadeiro.
Parabéns pelo blog!

Faz uma visita!
http://eloavinhal.blogspot.com.br/