sexta-feira, agosto 22, 2014

Gota


Chuviscos caem do céu trazendo o frio e o cheiro de vida. Engrossam-se e pela janela; se vê as gotas correrem formandos caminhos na transparência. Eu fico olhando enquanto a chuva pega força torcendo pras gotas formarem um desenho frio na janela do quarto. Vejo aquela gota cheia, prestes a suar esperando apenas o impulso de uma corrente fria ou a força de mais uma gota a se juntar. Nada. Na angústia da espera eu bato o dedo algumas vezes pra ver se ela cede e corre, mas não. Ela permanece. O único resultado é barulho do meu dedo batendo na janela. Mais uma vez o dedo bate e aí a gota cede. Cede e desce rápido fazendo um caminho curvado que quando chega no fim dá fim a ela. Pelo menos à sua forma. A gota dispersa e já não é mais gota, mas é gota derramada e rompida, cheia da vida.

Um comentário:

Joanderson Oliveira disse...

Você literalmente brinca com as palavras! Isso é maravilhoso.

http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/