segunda-feira, janeiro 26, 2015

Teias

Quem dera eu fosse uma pequena garota pedalando uma bicicleta cheia de flores no bagageiro numa   dessas cenas que a gente vê na França. Mas, não. Eu sou uma mulher que escorrega no gelo frio e congelante e cai cortando a mão numa pedra pontiaguda que estava no chão. Hoje definitivamente não é o melhor dia para se acreditar em dias bons, mas consegui por um instante ao ver uma criança olhando pra mim distante, parada, com olhos pequenos, mas cheios de intrigas. Limpei a mão num pedaço de papel que carrego na bolsa pra limpar a maquiagem e ao levantar os olhos cá está ela; em minha frente; à um passo do "oi". Mas, não foi essa a palavra que ela me disse.
- Minha mãe disse que algumas pessoas tem um coração tecido de teias de aranhas.
Aquilo me assustou. Imagine, uma criança dizer isso à alguém que não conhece. "Coração feito por teias de aranha" me soa como algo, no mínimo, assustador. Virei o rosto para minha mão para tentar estancar um pouco do sangue que corria.
- Você já viu? Disse a garotinha na tentativa incessante de conversar sobre aranhas comigo.
- Vi o quê? Respondi ainda olhando para o sangue escorrendo das minhas mãos para o gelo.
- Teias de aranha! Nunca parou para vê-las de perto?
- Não. Só as vejo no teto de casa e isso não dura muito. Logo pego uma vassoura e limpo tudo.
Ela agiu indiferente à minha resposta, mas continuou.
- Você sabia que quanto mais força a aranha utiliza para tecer a sua teia, mais forte essa teia fica?
- Como assim garota? Força numa teia? Eu consigo desfazê-las facilmente com as mãos!
- É verdade...
Ela por um instante parou e ficou olhando o chão com as marcas dos pingos vermelhos que antes haviam caído das minhas mãos, mas foi só o tempo de pensar numa resposta que já estava pronta em sua cabeça.
- A teia da aranha é muito flexível e de uma força enorme. Consegue resistir a grandes tempestades. É engraçado algo ser tão frágil e tão forte ao mesmo tempo não é? Disse ela olhando para mim.
- Sim. Falei olhando o relógio percebendo que estava atrasada. Olhei para a garota e sorri indicando o final da conversa. Peguei o que restou de mim daquela queda e saí andando em direção ao ponto do táxi. Dado muitos passos ouvi uma voz bem longe e imatura que dizia:
- Não deixe de tecer o seu coração...



16 comentários:

Joanderson Oliveira disse...

Oi Hozana! E sim, seus textos são de uma sensibilidade muito grande, e eu gosto muito disso! Amei essa parte: "É engraçado algo ser tão frágil e tão forte ao mesmo tempo não é?" Por vezes somos assim não é? Fortes e fracos, só não podemos deixar de tecer nossas teias! Parabéns pelo texto!

Bjs

http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

Aline Coelho disse...

Obrigada pela presença lá no blog, fico feliz com sua atenção.
Apesar do perfil de nossos blogs serem diferentes, espero que possamos contribuir de alguma forma para o crescimento uma da outra.
Ótimo ano para vc e ótimas leituras!!!!!

Leituras, vida e paixões!!!

Leitora Online disse...

Oi Hozana, tudo bem?
Que texto mais lindo! Acho que nunca parei para pensar nisso e tem toda razão. Às vezes as coisas consideradas mais frágeis são também as mais fortes!

Beijos,
http://leitoraonline.blogspot.com.br

Joice Ol. disse...

Oi, tudo joia?
Tenho vontade de escrever textos do tipo, mas sou tão sem criatividade haha.
Adorei o texto;

Beijos
intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

Thati Machado disse...

Olá Hozana, tudo bom?
Poxa, que bacana o texto.. É de sua autoria?
Achei delicado, poético e bastante reflexivo. Parabéns desde já!

Grande beijo ♥

Thati Machado;
http://nemteconto.org

Inês Gabriela A. disse...

Olá,
Adorei o texto e o significado que ele traz. Estou em uma dessas épocas em que é difícil acreditar que coisas boas virão. Foi bom ler seu texto.
Beijos.
Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

Dryh Meira disse...

Oiee ^^
Gente, que texto lindo ♥ adorei. Muito sensível e delicado, como disseram as meninas ali em cima. Está de parabéns :)
MilkMilks
http://shakedepalavras.blogspot.com.br

amanda mazzei disse...

Poético e verdadeiro. Somos como as teias né? Fortes e frágeis ao mesmo tempo. Coisinhas tão simples podem nos levar embora... Uma bala, uma lâmina, alguns comprimidos. Mas no tempo que estamos aqui construímos coisas perenes. Somos capazes de amar e de sobreviver às maiores frustrações, de passar por tudo e continuar de pé. Assim como as teias. Porém se vem alguém com uma vassoura, ou no nosso caso, com uma arma, nosso sopro de vida pode se apagar.

Beijos!
Expresso de Nárnia

Raissa Martins disse...

Parabéns pelo texto.
Sempre digo que amo quando entro em um blog e encontro textos de autoria do próprio blogueiro. Esse conteúdo deixa o blog mais autêntico e acabamos conhecendo melhor que nos escreve.

Beijos e continue escrevendo!

ooutroladodaraposa.blogspot.com.br

Tici Faria disse...

Texto maravilhoso: simples e que sabe passar uma mensagem! Eu sou meio que fascinada por teias de aranhas, apesar de não gostar muito das criaturinhas que constroem essas teias, rs! Mas a vida é assim, nós somos assim, frágeis e fortes ao mesmo tempo!
Beijos :*

www.bibliophiliarium.com

Desbravadores de Livros disse...

Oi, Hozana.
Realmente nem tudo é como a gente quer, a perfeição de estar num outro país e andar de bicicleta como se estivéssemos num paraíso.
Adorei a comparação do coração com uma teia de aranha. Fortíssimo e incrível.

M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

Miguel Pereira disse...

Que bonito texto, adorei ler as suas palavras. Simplesmente magnífico, fiquei completamente envolvido :)

http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

Babi Alves disse...

que coisas mais linda, sua escrita é ótima e me passa muita tranquilidade *-*
http://www.donab.net/

Elania disse...

Que coisa fofa.
Bem que deviam existir crianças assim, com essas analogias.
Abraço. <3

Rodolfo Soares disse...

Olá Hozana! Mais um maravilhoso texto, parabéns ! Tu continuas com a mesma facilidade para desenvolver a história! Parabéns!

Abraços
Um guarda-livros
@rodolfosoares

Taísa Medeiros disse...

Que texto lindo! Que palavras sensíveis! Meus olhos chegaram a encher de lágrimas. Costumo te visitar frequentemente mas sempre venho quietinha. Hoje não pude deixar de passar aqui pra dizer: parabéns por esse texto incrível!

http://nadaelementar.blogspot.com.br/