sexta-feira, 15 de março de 2019

Escreve dores

Acordei altiva, alegre e motivada para enfrentar os desafios que o hoje me traz. Tomei banho ao som de uma playlist que eu criei para isso e em seguida fui me vestir, tomar café - bem rápido, pois tempo é ouro - e saí. O mesmo caminho de sempre, na mesma hora e as pessoas que já estou habituada a ver sempre nas mesmas partes do caminho. 
Há poucos metros a minha frente, estava a garota de aparentemente 20 anos, a qual sempre vejo quase todas as manhãs cercada das mesmas pessoas e as vezes só. É uma linda mulher, com jeito meigo e misterioso, que as vezes ri lindamente nas conversas em grupos com seus amigos e as vezes anda com olhar triste quando está só. Enquanto eu caminhava observando as coisas ao redor, percebi que algo caia de sua bolsa e gritei para ver se ela me ouvia, mas a única coisa que fiz, foi atrair a atenção de pessoas próximas a mim com olhares de interrogação ao meu respeito. Corri lentamente - pois é difícil correr rapidamente de salto - para tentar alcançar a menina e lhe avisar do seu objeto perdido, mas só consegui alcançar o objeto mesmo. Era um pedaço de papel e nele havia um texto. Percebi que se tratava de uma carta ao ver que tinha destinatário. Não apenas um, mais dois. Eu não costumo xeretar nas coisas pessoais das outras pessoas, mas eu não me contive ao ler aquela se tratando de quem eram os destinatários. Aquela menina havia escrito aquela carta para o mundo e para morte.
"Querido Mundo e Morte,
É preciso ter muita coragem pra morrer. Hoje, parei pra pensar mais uma vez no suicídio. Não sei se eu tenho a coragem de fazê-lo, mas sempre que sinto o que se sente quando algo não vai muito bem dentro de mim (e consequentemente fora também), eu penso que isso seria uma opção se eu tivesse a coragem de o fazer. Por muitas vezes me senti e me chamei de fraca por isso. "Só uma pessoa fraca cometeria tamanho ato contra sua própria vida!" Mas, não! Não acho que seja uma fraqueza. É preciso ter força pra ter esse ato de coragem e cá estou eu, enaltecendo isso? Me sinto envergonhada... 
Não posso me cobrar o que sentir. Até porque, alguém como eu, sente demais. E sente demais o que é perigoso de se sentir. 
Eu queria dizer que o suicida provavelmente já disse o que iria fazer. Em poucas palavras ou até mesmo em letras grandes. Mas, muita gente não quer ouvir, ou se ouve, não crê. Isso é uma pena... as vezes só um abraço longo, sem outras distrações poderia ter evitado o efeito. Pelo menos por mais um momento. Quantos abraços seriam necessários para adiar algo tão trágico? 
Não é uma regra. Talvez, um abraço não signifique nada comparado ao dano que se tem na nossa cabeça. E o que mais fazer? Cada um tem sua receita, mas nenhum desses precisou usá-las. É difícil oferecer coisas para quem não mais se interesse em nada. É difícil dizer lindas palavras quando quem as ouve está com a alma apagada. É difícil estar presente com alguém que não entende a própria presença no universo. E qual seria a solução? Que mal terrível é esse que se adapta a qualquer situação? Como vencê-lo? Ou melhor: Como ajudar alguém a vencê-lo? Eu não sei a resposta... Mas ela começa com entender. Sem julgar, sem esperar grandes passos, sem achar caminhos óbvios que todo mundo já falou. E o mais importante: seja gentil. E pra isso você precisa ser forte. Porque só alguém forte consegue ser gentil com quem não quer viver."
Eu estava atônita e desesperada. Tirei os sapatos e corri como se minha vida dependesse disso. Uma vida dependia pelo que eu havia entendido no final. Eu já não conseguia vê-la no meio das pessoas; olhava para todas as direções. Tentava lembrar de possíveis lugares onde eu já a havia encontrado, ia em todos os que lembrava e nada. Tentei achá-la de todas as formas, mas nada me levava a ela. O dia foi terrível. Não parava de pensar nela e naquela carta. Quase não dormi desejando vê-la no dia seguinte. Quando deu a hora, saí de casa na esperança de encontrá-la como sempre no meio do caminho e ela não apareceu. No quinto dia, eu já sabia. Sabia que era tarde demais. No final do dia voltei pra casa sem esperança alguma e decidi que era hora de parar de procurá-la no caminho. 
Mesmo tendo aceitado essa terrível ideia, eu ainda olhava ao redor esperando achá-la, mas sempre uma frustração.
Um dia parei em frente à uma biblioteca próxima para olhar os livros que ficavam na vitrine e e percebi que havia uma grande quantidade de pessoas lá dentro. Muitas saíam e entravam num fluxo enorme e algumas delas com o mesmo livro na mão. Resolvi entrar para ver do que se tratava e constatei que era o lançamento de um livro intitulado como "As flores que a morte recebeu". "Que título curioso!" Pensei. Fui andando em direção à uma fila que tinha e percebi que se tratava de uma fila para autógrafos. Chegando mais próximo, percebi uma figura familiar; quando reconheci, fiquei em estado de choque. Era a menina, da carta perdida que eu achei não conseguir salvar. Ela estava lá, sentada, com um lindo sorriso e brilho nos olhos recebendo as pessoas e seus livros. Me aproximei ao ponto de estar parada em sua frente segurando um livro numa mão e a carta na outra. Quando vi por mim, estava aos prantos sem entender muito bem o porquê. Mas, uma grande onda de alívio cobria meu coração nesse momento e eu só conseguia chorar. Ela levantou-se e me abraçou com profundidade.
- Vai ficar tudo bem, vai ficar tudo bem...
Entreguei-a a carta e ela surpresa olhou para mim sem entender como aquilo estaria comigo.
- Eu achei há alguns dias atrás, tentei achar você, te procurei por toda parte, achei que estivesse morta. Achei que você tinha...
- Se matado? Eu tentei, há alguns anos atrás dias antes de escrever essa carta, mas hoje eu estou aqui e bem. Encontrei ajuda, encontrei a cura e escrevi sobre isso.
- Eu não imaginava! Desculpe todo esse show de choro, todo esse transtorno... é que eu sou sensível demais.
Ela sorriu carinhosamente pegando o livro que estava na minha mão, escreveu algo nele e me devolveu.
- É por minha conta! Um presente meu! Obrigada por ter se importado.
Dei-a um outro abraço agradecendo ao presente e a deixei para continuar recebendo as outras pessoas que a aguardavam.
Quando abri o livro para ver o que havia escrito, vi umas letras rabiscadas que diziam:
"Que eu possa ser sensível demais, porque só quem é sensível demais consegue ouvir um grito engasgado, ver um coração doente e sentir a dor fora do corpo da gente."
SHARE:

66 comentários

  1. Essa última frase é linda. O bom seria se todos fosse sensíveis!

    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, fiquei arrepiada! Um texto intenso, Hozana.
    Parabéns!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Aii que texto lindo e hoje estou assim acordei feliz e já ouvindo uma linda playlist!!

    FELIZ SÁBADO!

    Beijosss da Pâm♥
    Resenhas & Afins

    ResponderExcluir
  4. Que linda história. Que bom que ela teve um final feliz. Que essa história sirva de lição para quem está passando por momentos difíceis.
    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  5. Que texto lindo! Às vezes os melhores presentes estão onde menos se imagina...
    Bjks!

    Mundinho da Hanna

    ResponderExcluir
  6. Li o texto chorando, que texto lindo e profundo. Meu padrasto se matou e a dor que fica é imensa.
    Charme-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone, meus sentimentos. Não imagino o quanto deva ser difícil viver isso. Espero que vc é sua família fiquem bem e encontrem apoio. Que sua dor seja uma ferramenta pra você ajudar os que passam por situações como essa.
      Beijos! Sinta-se abraçada.

      Excluir
  7. Gente, gente, gente !!!! Ai, carai !!!!( perdão pelo palavreado!)

    É por isso que digo que não existe outra rede como a dos blogs!!! Aaaaah!!! É por causa de blogs como esses que ainda escrevo!!! Blogs diarinho !!!!Querida, obrigada demais por compartilhar essa experiência aqui. Eu lidei com depressão profunda e pensamentos de suicídio durante minha adaptação nos EUA. Poucos são os que de fato param pra dar a mão e ajudar. Quando a pessoa pensa nisso, ela não quer se matar, só quer acabar com a dor. E pra ela, a morte é o final da dor.

    Feliz que ela não desistiu e que vc se importou. Nossa, esse texto foi um sacode!

    Beijos e posta mais coisas assim! Adorei!!!


    www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, que bom que você gostou! Essa história eu criei, mas a carta é real. Essa carta eu escrevi algumas semanas antes de quase tentar o suicídio. Nessa jornada eu descobri muitas pessoas com o mesmo problema e decidi compartilhar um pouco da minha experiência como forma de segurar nas mãos de quem passa por isso. Eu entendo a dor de quem passa por esse tipo de experiência e quero que minha dor sirva para ajudar a florescer a dor dessas pessoas. Isso nos torna mais forte e especiais pois como ninguém conseguimos enxergar o outro.
      Beijos e espero que esteja bem. Quando estiver num dia mal, peça ajuda. Pode vir aqui que eu vou estar aqui pra dar suporte.
      Obrigada por compartilhar sua história.

      Excluir
  8. So beautifully written. I felt every emotion!

    www.fashionradi.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Hozana =)

    O mundo está precisando de mais empatia. Pessoas que escutem e sintam a dor do outro e façam alguma coisa para ajudar.

    Hoje em dia as pessoas estão mais preocupadas em criticar, em apontar o dedo, em julgar o próximo. Mas, não de enxergar o próximo, entender o que se passa na vida e no coração do outro.

    Lindo texto!

    Beijos e uma ótima semana!;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Empatia e gentileza!
      Obrigada pela visita, Ari!
      Beijos!

      Excluir
  10. Que texto lindo!
    Muitas vezes sinto falta de ler textos que me emocionam e esse me emocionou! Ultimamente, devido o momento atual que estamos vivendo e ainda mais por estar em contato com muitas pessoas no trabalho (desde crianças até adultos), sinto cada vez mais essa necessidade de que precisamos aprender a ouvir mais as pessoas! Pequenas coisas fazem toda a diferença, muitas vezes com a vida corrida deixamos de perceber isso, mas é necessário refletir sobre pra tentar mudar!
    Beijos e parabéns pelo texto!
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com tudo o que você disse!
      Prestar atenção e fazer algo é mega importante.
      Beijos!

      Excluir
  11. Oi Hozana, tudo bem?
    Minha reação pra esse conto: UAU!
    Além do tema emocionante (e doloroso), o desfecho também ficou incrível. A frase no livro tá demais. Adorei!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Priih!!
      Beijos e aproveite suas férias!!
      Mas volta logo ahaha

      Excluir
  12. Nossa! Que texto incrível, o desfecho ficou maravilhoso.
    Beijos boa semana
    www.bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá, Hozana.
    Que texto lindo. E vi nos comentários que é praticamente sua história. Que bom que conseguiu superar. Sábado o enteado do meu irmão tentou se matar e o pior é que ninguém sabe o que fazer para ajudar e provavelmente ele vai tentar de novo. Ele edta em tratamento faz meses mas parece ter desistido da vida.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Sil, que coisa horrível! Espero que esteja tudo bem com ele agora e com sua família. Tentem procurar ajuda profissional e ficar sempre por perto.

      Excluir
  14. Uau que texto mais profundo, amei a última frase, na verdade amei tudo!
    Beijo
    ;)
    Blog| Instagram| Canal no Youtube|


    ResponderExcluir
  15. Que texto lindo... queria ter esse dom para escrever assim...
    Amei...

    >>Blog da Gio<<

    ResponderExcluir
  16. Que intenso, textão super bonito!
    bjs www.diadebrilho.com

    ResponderExcluir
  17. Copiei a frase que a mocinha deixou no livro por que achei super linda e verdadeira, vou escreve-la no meu bullet journal com o lembrete abaixo de que encontrei tal frase no seu blog. E como sempre, eu amei seu texto.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que amor! Fico feliz que tenha gostado!
      Adoro bullet journal! Acho incrível que faz!
      Beijos!

      Excluir
  18. Que texto lindo. Suicídio requer coragem, entretanto, acho que muitos dos casos teria sido evitado se alguém tivesse parado e apenas escutado.
    Amei a frase final
    beijos
    lolamantovani.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. belissimo texto! tbm sou essa pessoa sensivel, cheia de sentimentos transbordantes

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  20. Oie,
    Texto lindo! E um tema tão delicado. Que bom que ela sobreviveu e se transformou. É preciso sim reconhecer os sinais das pessoas a nossa volta, ás vezes podemos salva-las.
    Beeeijoo!!

    Grazy Carneiro
    Meus Antídotos

    ResponderExcluir
  21. Hozana, que texto espetacular. Suas palavras emocionam, consigo sentir daqui o que você quer expressar!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  22. Oi
    muito bela suas palavras, uma escrita muito boa.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Que lindooo!
    Fiquei imaginando cada cena... e nossa que situação complicada.
    Isso também me lembrou que temos que aprestar atenção nas pessoas ao nosso redor, aprestar atenção nos detalhes e nos sinais e tentar ajudar de alguma forma quem está precisando.

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Estou deixando este comentário para dizer que gostei bastante do que acebei de ler aqui neste artigo, inclusive já salvei até meu navegador em meus favoritos.
    Abraços Super Vale

    ResponderExcluir
  25. Oi,
    Lindo texto, é uma situação tão complicada, mas temos que ter fé que tudo se ajeita.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  26. Olá,
    Eu amei essa imagem!
    Escrever é sempre terapia, fato... transborda tudo.
    As vezes aquilo que pensam ser fraqueza, é uma habilidade imensa que temos, fato.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  27. Por favor, diz que esse conto é de vdd! Diz que ainda tem pessoas que se importam umas com as outras. Parabéns pelo texto!! Sempre bom trazer assuntos dessa importância pra discussão. E ficou leve, com um final lindo. Beijo

    https://www.verdadeescrita.com/voce-foi-uma-fantasia

    ResponderExcluir
  28. Que texto mais lindo! É legal demais ver que o amor e a arte ainda são importantes!
    Fico impressionada com a sua capacidade de retratar a sensibilidade tão perdida por aí.

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
  29. Great post.
    xx
    https://theonethattravels.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  30. Olá Hozana,

    Texto muito bonito e bem escrito, parabéns, arrasou...bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e por seu comentário!
Leio e respondo a todos com muito carinho.
Pode esperar que eu vou fazer uma visita a você logo mais para retribuir.
Beijos no coração ♡
Volte voando!

© Borboletra